O que é bitcoin? (Tutorial 2022)

O que é Bitcoin

Criada em 2008, presumidamente por Satoshi Nakamoto, o bitcoin é a primeira criptomoeda do mundo. E exatamente por este seu caráter inovador e primogênito, é a melhor escolha quando pensamos em moedas virtuais. 

Com a sua maior alta da história em abril de 2021, a ‘moeda digital’ atingiu o impressionante valor de 65 mil dólares, cerca de R$350.000. Dessa forma, o bitcoin conseguiu ainda mais destaque na mídia e atiçou a curiosidade de investidores em todo o mundo.

A criptomoeda ganha muita popularidade, também, pela sua descentralização e ausência de agentes reguladores, como governos ou bancos. Dessa forma, constitui-se a cada dia mais como uma escolha cada vez mais palpável para a população de um modo geral e o mercado mundial. E além disso, já é uma realidade em grandes empresas como a Microsoft e a IBM.

Mas afinal de contas, o que é o bitcoin? Confira a resposta desta e outras questões  sobre a primeira moeda virtual neste arquivo!

O que é bitcoin e para que serve?

Bitcoin nada mais é do que uma “moeda virtual”. Ou seja, é diferente do real, pois não existe fisicamente. Ao invés disso, a criptomoeda é armazenada em uma carteira digital, que pode ser aberta por meio de um aplicativo para celular, ou de programas para computadores. 

Dessa forma, o bitcoin é uma moeda alternativa àqueles que buscam integrar o mercado digital, pois também facilita as transações bancárias por ser livre de entidades governamentais e bancárias para funcionar. Assim sendo, facilita as transações monetárias na internet e constituí uma boa aposta para aqueles que buscam fugir de burocracias, tão presentes no nosso dia a dia.

Quem criou o Bitcoin?

Na verdade, não existe consenso sobre quem criou a tecnologia bitcoin. Sabe-se apenas o pseudônimo (um nome adotado pelo criador de alguma coisa, que não seja seu nome civil verdadeiro) do inventor da criptomoeda: Satoshi Nakamoto. 

Existem teorias acerca da identidade de Nakamoto, como a de que o desenvolvedor é na verdade um grupo de programadores. Entretanto, a verdade não é conhecida, uma vez que Nakatmoto desapareceu completamente dos registros em 2011.

Como funciona o bitcoin?

O bitcoin funciona a partir de uma série de códigos que ‘escondem’ as informações presentes nas transações, protegendo os dados dos compradores e vendedores. Além disso, as informações contidas nesses códigos são ‘embaralhadas’ através de uma tecnologia específica de criptografia, chamada de  Blockchain. Assim sendo, apenas quem comprou ou vendeu as moedas pode ter acesso a essas informações.

Além do mais, o Blockchain, que é espécie de ‘cadeia de blocos’, registra todas as transações de bitcoins realizadas mundialmente de forma pública, porém segura pela criptografia de ponta a ponta, Isso garante a transparência e segurança contra fraudes e ataques durante todo o processo de transferência monetária.

Bitcoin é seguro?

A questão mais importante para muitos entusiastas e curiosos é se o uso do bitcoin é seguro, tanto para seus bolsos quanto para a segurança de seus dados na internet. 

A pergunta é extremamente válida e a resposta é mais simples do que parece: apesar da grande preocupação que nasce ausência de órgãos governamentais ou bancários supervisionando as transações, a tecnologia de criptografia de ponta a ponta é capaz de gerar uma grande segurança para os usuários, protegendo as informações através do ‘embaralhamento’ dos códigos que as compõem. Assi, é uma garantia que apenas o vendedor e o comprador sejam capazes de ter acesso aos dados da transação, e mais ninguém.

Entretanto, essa mesma liberdade pode gerar riscos, uma vez que se um ataque ‘hacker’ ocorrer, não existe uma alternativa concreta para proceder e recuperar o que foi perdido.  

Mesmo assim, o bitcoin ainda se apresenta como uma ‘moeda digital’ segura, já que uma vez que se apresenta totalmente no meio digital, furtos como estamos acostumados são muito improváveis. Além de que com a crescente demanda, as tecnologias que cercam as criptomoedas apenas se tornam mais e mais eficientes, o que mitiga o risco de ataques e fraudes, como esquemas de pirâmide, por exemplo, muito comuns no Brasil.

Apesar disso, ainda é preciso cautela e estudo ao se decidir ingressar no mundo das criptomoedas, para que não existam frustrações com a ‘moeda digital’, e mais importante, não existam grandes perdas monetárias com seu uso através de golpes ou acidentes.

Dessa forma, fica evidente que o bitcoin é sim uma moeda segura, apesar dos riscos que o cercam, pois as tecnologias que o protegem são extremamente eficientes a estão em constante evolução, o que torna a criptomoeda até mesmo mais segura que o dinheiro físico.

Quais são as vantagens do Bitcoin?

Quando se pensa nas vantagens do Bitcoin, a primeira e mais atrativa delas é a inexistência de burocracias e agentes bancários ou governamentais que regulam as transações. 

Isso por si só, já facilita e muito na praticidade da compra e venda das criptomoeda. Entretanto, essa não é nem de longe a única vantagem do bitcoin, a seguir, conheça mais alguns dos motivos que fazem do bitcoin uma alternativa tão atrativa para o mercado atual:

1.   Além da facilidade já citada, também é importante destacar a crescente presença dos bitcoins em grandes multinacionais, tais como a Microsoft e a IBM, o que é  uma evidência de como a tecnologia pode se concretizar e se espalhar no mercado mundial, e em especial brasileiro, nos próximos anos. E dessa forma, se mostrar mais presente para a população de um modo geral, o que a torna ainda mais atrativa.

2. Mais uma vantagem dessa ‘moeda digital’, é a possibilidade de contar com a transparência total com o que o sistema específico de criptografia ponta-ponta utilizado nos bitcoins, o Blockchain, promove aos usuários, o que certamente é um grande atrativo para aqueles que querem fugir das intermináveis e infames entrelinhas das corporações.

3. Outra grande vantagem da criptomoeda, é o seu caráter mundial. Ou seja, as transações podem ser feitas entre pessoas em diferentes países sem a necessidade de câmbio entre as moedas locais, ou de taxações extras promovidas pelos governos ou bancos, o que garante mais um aparato facilitador de transações para os usuários.

Ainda existem outras inúmeras vantagens associadas ao uso de bitcoins, o que explica de maneira inequívoca o porquê do grande sucesso da tecnologia. E, claro,  como a criptomoeda consegue conquistar, de pouco a pouco, um espaço cada vez maior no cenário mundial.

Ainda vale a pena investir em Bitcoins?

Com a máxima histórica do valor da moeda cotada em 65 mil dólares sendo alcançada em abril de 2021, surge a dúvida se ainda é vantajoso investir em bitcoins. E a resposta certamente é sim.

Como a criptomoeda ainda não se concretizou como uma alternativa popular no mercado, os seus valores ainda apresentam variações. Ou seja, são ora mais caros, ora mais baratos. 

Dessa forma, a insegurança pode desestabilizar e criar dúvidas para aqueles que pensam em ingressar no mundo das criptomoedas. Mas existem grandes evidências de que a tecnologia pode se estabilizar e espalhar nos próximos anos, diminuindo as oscilações de preços, e com a crescente demanda, é provável que os valores das ‘moedas digitais’ cresçam, o que garante uma das várias vantagens (e uma grande oportunidade) de se investir em bitcoins ainda hoje.

Qual o valor do bitcoin?

Um bitcoin hoje (novembro de 2021) vale pouco mais de R$355.000. Por apresentar um valor muito alto, acima da casa dos trezentos mil, a moeda é fracionada em uma unidade menor, o Satochi, que vale exatamente 0,00000001 Bitcoin; dessa forma, cada Satochi hoje vale cerca de R$ 0,003.

Quem decide isso?

Como o bitcoin não é regulamentado por nenhuma entidade governamental ou bancária, a decisão de seus valores ocorre através da lei da oferta e da procura: quanto menos bitcoins estão disponíveis no mercado, maior o seu valor, e quanto mais bitcoins estão disponíveis no mercado, menor o seu preço. 

Dessa forma, o valor do bitcoin é inversamente proporcional a quantidade da criptomoeda que está disponível no mercado naquele momento.

Essa regulação feita totalmente pelos compradores e vendedores garante uma grande liberdade que é intrínseca da moeda digital. Uma vez que dá aos usuários a capacidade, de certa forma, de regular o valor da criptomoeda, em detrimento da bolsa de valores. Por exemplo, que é regulamentada e não dá essa liberdade aos compradores e vendedores.

Apesar disso, engana-se quem pensa que a criptomoeda é totalmente desprovida de atividades humanas e existe apenas e simplesmente no mercado, já que o próprio Blockchain, que consiste em um ‘local digital’ em que são registradas todas as transações de bitcoins realizadas mundialmente de forma pública, é formado e regulado por mineradores, que são trabalhadores que ‘confeccionam’ o bitcoin. 

De forma análoga, podemos comparar os mineradores com a Casa da Moeda, que confecciona as moedas e cédulas do Real. Entretanto, a ação dos mineradores não abrange a regulamentação das altas e baixas do bitcoin, o que garante a tão inovadora descentralização da criptomoeda, e por conseguinte, garante também uma inexistência de limitadores de baixas, e é claro, de altas. Este fator também diferencia as ‘moedas digitais’ das bolsas de valores pelo o mundo, que apresentam mecanismos, muitas vezes governamentais, para diminuir os impactos das baixas.

Como funciona o investimento em bitcoin?

O investimento em bitcoins é feito através do peer-to-peer, ou de ‘ponto a ponto’, em tradução livre; basicamente, essa forma de transação garante a potencialização da liberdade e descentralização que a tecnologia da ‘moeda digital’ tem a oferecer, uma vez que as transferências são feitas diretamente entre comprador e vendedor, sem nenhum tipo de intermediário. Porém, exatamente por isso ela se torna uma estratégia suscetível a fraudes, como os esquemas de pirâmide. Dessa maneira, existem empresas especializadas em intermediar a compra a venda de bitcoins, as chamadas exchenges, que são constituídas em sua maioria em empresas online, e garantem uma transação segura e eficiente, diminuindo quase que completamente as chances de fraudes, como no peer-to-peer.

Como comprar e vender bitcoins?

Você pode realizar o chamado peer-to-peer, ou P2P. Mas a estratégia mais segura é, sem dúvidas a contratação de exchenges, empresas online que intermediam a compra e venda de bitcoins, já que elas irão garantir tanto a segurança das transações, quanto uma diminuição exponencial das chances de fraude. 

A seguir, conheça algumas exchanges disponíveis no Brasil:

1.   MercadoBitcoin

2.   PrimeXBT

3.   Coinext

4.   Nox Bitcoin

5.   NovaDAX.

Outros tipos de investimentos financeiros

Além do peer-to-peer e das exchanges, existem ainda outros jeitos de se investir em bitcoins. A seguir, conheça dois deles:

1. Fundos de criptoativos: os fundos de criptoativos são uma boa jogada para aqueles que não se sentem confortáveis em realizar as transações sem um órgão regulador presente, uma vez que os fundos apresentam entes regulatórios, como a Comissão de Valores Mobiliários.

2.    Cashbacks: os chamados cashbacks consistem em uma recompensa recebida ao realizar compras em cartões de crédito, tradicionalmente feito por meio de milhas ou pontos, algumas empresas vêm apostando em realizarem o cashback com bitcoins, como é o caso do 99Pay, que anunciou o programa recentemente.

Investir em bitcoin realmente vale a pena?

Com todas essas informações, é natural que surja a dúvida: realmente vale a pena investir em bitcoin? E a resposta é sim.

Com o avanço da tecnologia no mercado, fica cada vez mais evidente que o bitcoin irá, de pouco em pouco, conquistar mais espaço nas transações no mercado, e conquistar cada vez mais adeptos. 

Apesar das desvantagens apresentadas pela inexistência de agentes reguladores, existem maneiras, para aqueles mais moderados, de se ‘burlar’ essa descentralização e apostar em uma exchenge, ou até mesmo fundos de criptoativos.

Dessa forma, mostra-se evidente que o investimento em bitcoin é, nos dias atuais, uma das maneiras mais seguras e inovadoras de se investir seu dinheiro.

Aposte já nas loterias online

Conte com a Intersena para apostar nas loterias online

A criptomoeda bitcoin, desde sua criação em 2008, vem conquistando cada vez mais espaço no mercado mundial, tanto pela sua segurança quanto pela facilidade de suas transações e inúmeras vantagens apresentadas.Investir em bitcoins, portanto, é uma grande oportunidade e uma porta de entrada para o futuro do mercado mundial. 

A Intersena também garante grandes oportunidades com as loterias loterias, sendo  um facilitador para as apostas, e portanto, também é uma grande oportunidade de ganhar dinheiro, tal qual os bitcoins! Afinal, as loterias brasileiras sorteiam valores exorbitantes, como é o caso da Mega-Sena, a Mega da Virada, a Lotofácil, a Timemania, entre outras. 

E se você gosta de colocar um pouco mais de sorte às suas transações, conte com a Intersena, que é uma facilitadora para você fazer suas apostas. Com ela você aposta via internet, sem sair de casa. 

É mais comodidade e simplicidade para o seu dia!



Voltar



Noticia: 622

iCred

Compre seus créditos antecipadamente e jogue quando quiser.

BOLETIM DIÁRIO

Cadastre-se e receba nossos boletins diários com resultados, data de sorteios, avisos e promoções

VEJA OS DEPOIMENTOS

Depoimentos

Muito pratico.... já ganhei vários prêmios vale a pena tentar... confio na INTERSENA.

Ana Aparecida da Rosa Brasil ESTIVA-MG

Usamos cookies para personalizar conteúdos e melhorar a sua experiência. Ao navegar neste site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Entendi.